11/03/2008

Os Imortais I

Atenção! Este post pode causar vómitos.

A todos vós que vêem no Moyle a luz do bem-estar em existências de outro modo carregadas de sombra, exacerbada pelo cinzentismo destes dias perturbados, lamento dizer-vos que vos trago, pelo menos desta vez, más notícias.


Imaginem a pior coisa que podia acontecer, em termos políticos, a Portugal. Agora, multipliquem esse pensamento por dez. Se já estão na fase da Manuela Ferreira Leite a fazer o discurso da vitória nas legislativas de 2009, multipliquem por mais dez, se já chegaram ao debate para umas presidenciais entre Mário Soares, Manuel Alegre, Cavaco Silva e Jerónimo de Sousa nus – sem sequer umas mesas à frente – preparem-se para o pior que isso ainda não é nada.


A notícia bombástica que vos trago, aquela que suplanta em pesadelo o terror de qualquer assessor de imagem pelas migalhas de bolo-rei a caírem dos lábios mumificados de Cavaco Silva, é que José Sócrates é imortal.


Não, isto não é violência gratuita nem alarmismo sensacionalista para aterrar as vossas noites insones, é sim o resultado de uma observação atenta do que nos rodeia, da detecção das pistas nos locais mais inesperados.


Ao observar, «Dans le Boulevard», um quadro do impressionista, com laivos de realismo e até, eventualmente, com uma ou outra fuga simbolista a ter em conta, Jean Béraud (1849-1935), o Moyle ficou absolutamente siderado com o que observou. Se à primeira vista, o estilo “nem aquece nem arrefece”, do tipo Cola Cao, “nem é bom nem é mau”, com que o pintor retrata o quotidiano burguês de Paris, capturou a atenção, os olhos, teimosamente insistiam em focar num ponto determinado da imagem. Quando o cérebro processou a imagem, ainda o nervo óptico estava quente da velocidade com que a mensagem saiu disparada da retina, foi o estarrecimento, a terrífica sensação caliginosa de pânico descontrolado. Não podia ser, mas de facto, ali estava, o primeiro-ministro em exercício em 2008 foi representado por um pintor francês, a passear numa avenida parisiense no século XIX.


José Sócrates é imortal e, se procurarmos bem, de certeza que ele aparecerá mais vezes, ainda que com uma alteração ou outra na fácies e no aspecto geral – certamente devido a cirurgias plásticas.


Perdeu-se o ligeiro conforto que tínhamos de aceitar resignadamente o presente, confiados que estávamos na transitoriedade da vida humana, ainda que para um beco sem saída. Estamos entregues à bicharada e, à beira desta trágica descoberta, o eterno retorno é treta de filósofos bêbados e amantes de meninos.
Contemplem, então, a miséria humana: a nossa!




PS – Não imaginem que este é caso único. O destino odeia-nos, como vos mostrarei brevemente [vamos lá ver quando, não faço promessas].
PPS – Não me venham dizer que o PM não é nada parecido com o quadro porque se vê perfeitamente que sim e ninguém tem o direito a estragar esta ilusão senão há aqui uma choradeira e depois aturem-no. Olhem que a Cerelac não está nada barata e é a única coisa que cala o Moyle quando o contrariam.


20 comentários:

Anónimo disse...

sempre muito interessante


http://www.arte-e-ponto.blogspot.com

Anónimo disse...

sempre muito interessante


http://www.arte-e-ponto.blogspot.com

Teté disse...

Ah, é ele, sim!!! É a cara cuspida e escarrada do PM.

Só que o manganão, para disfarçar, fez uma plástica e acrescentou 5 quilos de silicone (ou lá do que é feito o implante) à narigueta! :)))

Moyle disse...

anónimo,

bem-hajas pela honestidade.

Moyle disse...

anónimo,

bem-hajas pela honestidade.

Moyle disse...

teté,

vais ver outro que eu hei-de aqui pôr que nem sequer se deu ap trabalho de disfarçar. daqui a uns tempos. vais ver:)

Jiminy_Cricket disse...

Oi Moyle,

Eu olhei para o quadro e fiquei abismada para não dizer "antónita" com a descoberta!!!!!!

O meu comentário foi só em consideração ao teu bolso porque a cerelac está mesmo cara ;)

beijos

Ácido Cloridrix HCL disse...

Então quer-se dizer q o gaijo é um reincarnação de um passado não muito distante né pá??? E continuará se reencarnando sucessivelmente para nos abrasar a mona constantemente!!! Dasssssseeee, q essa coisa da imortalidade é uma ganda noia!!! Que bom sermos comuns mortais né???? Imagina só se n fossemos e daqui por uns 100 anos levávamos com o gajo em cima de novo!!! Só me apetece dizer asneiras,,,, puta q o pariu!!!!! HCL

Moyle disse...

jimini,

hummm, ok. a sinceridade acima de tudo. mas eu continuo a achar que é ele, embora muito mais elegante no quadro. além de outras coisas perdeu também o bom gosto:)

Moyle disse...

ácido,

a nossa sorte é que nós não somos imortais. já viste o que era este gajo exercer o poder para sempre? é que conhecendo bem os portugueses e a oposição iam votar nele sempre porque este país vive em crise permanente há centenas de anos.

Clara Umbra disse...

E a figura feminina, um pouco atrás, a acompanhar o PM discretamente, será a Fernanda Câncio?

Sempre muito interessante!
http://a494interessantesmetrosdeinteressantealtitude.blogs.sapo.pt

Moyle disse...

clara,

não me parece que a Mme. Câncio seja muito do tipo discreto. Sonsa eventualmente, discreta talvez nem tanto.

esse é um blogue extremamente interessante, cujo principal interesse é ser um beco sem saída, que são as ruas que me interessam mais:)

Pedro Correia ou Poeta Acácio disse...

meu caro, quando disseste que o post poderia causar vómitos pensei... «queres ver k o caríssimo moyle vai começar a falar no Magalhães e em como ele pode ajudar a criançada no dia-a-dia?» mas, graças a São Jervásio, não! hehehehehe
Pergunto-me então, a partir da observação atenta da pintura o que terá ele propagandeado (se é que esta palavra existe) no ano da graça em que tal pintura foi feita...
Fica a pergunta no ar...

Um abraço meu caro

TENHO DITO

Moyle disse...

poeta,

provavelmente, e tendo em atenção o brilho dos sapatos, andava a vender o mesmo que agora, isto é, banha da cobra:)

clara umbra disse...

Hmmm... isso por acaso é algum convite obsceno ou assim? Há para aí metáforas que convém deixar no campo - seguro - dos tropos linguísticos, não vá a gente corar e tal?

Moyle disse...

clara,

com este frio ninguém cora, a vermelhidão é mesmo das frieiras:) até pode ser uma metáfora, concedo, eu só não sei é qual é o subtexto.

é só uma mania que tenho de escrever coisas de exegese aparentemente hermética:)

espero não ter ferido expectativas:)

Sorrisos em Alta disse...

Que desilusão!!!
O Moyle vendeu-se!
O Moyle... o Moyle... o Moyle aderiu à política! O Moyle passou a fazer promessas que não cumpre!!!
E eu que vim aqui de propósito só para vomitar.... mas nem o meu estômago ia aguentar vomitar até à eternidade....

Moyle disse...

sorrisos,

afinal o comentário começa com uma crítica mordaz apenas para reconhecer que, felizmente, não se verificou o que se criticara.

o post pode causar vómitos, não causa obrigatoriamente, atenção a esse pormenor. por outro lado, também pode causar ataques de pânico e de choro convulsivo.

mas o Moyle nunca se vendeu [se calhar porque ainda ninguém fez uma oferta decente. bem, nem decente nem oferta, sequer]

Ácido Cloridrix HCL disse...

Moyle,,, o gajo exercer o poder p sempre????? Putzzz,,,, perante tal hipotese apenas me apetece dizer: "Dassssssssssssssssssssse", ainda bem q somos imortais mesmo,,, ou pelo menos o gajo deve ser, né???? Abraço mortal, HCL

Moyle disse...

ácido,

meu caro. quem cá ficar que o ature:)