9/27/2010

Hora de Ponta


O Governo anunciou mais uma vez a suspensão das obras do TGV entre Lisboa e o Poceirão. O mais giro não é construir uma linha de caminho-de-ferro que liga uma capital europeia ao um fim do mundo em Portugal. Um qualquer cu do mundo em Portugal tem mérito suficiente para ser ligado a Madrid que, talvez não saibam, é uma cidade cheia de espanhóis. Não, o mais giro é outra coisa.
O mais curioso é que ao mesmo tempo que anuncia a suspensão de uma obra, o Governo anuncia o lançamento dessa obra umas semanas depois. Já não é a primeira vez, suspeito que não será a última. E devo dizer que é absolutamente amoroso do Governo de fazer isso. Porquê?
Este cancela e anuncia de novo, cancela e anuncia de novo prmanentes conduzem o Moyle à segura conclusão de que este é o Governo que, desde que há democracia, mais fez pela inclusão das pessoas que sofrem de desafios psíquicos. Nunca os doentes de esquizofrenia, bipolaridade e maníacos compulsivos viram a sua condição tão defendida pelos poderes responsáveis perante a sociedade.
É linda, é fofa e, acima de tudo, bastante democrática, esta forma de discriminação positiva que divulga e esclarece ao mundo o sofrimento dos patológicos da bipolaridade. Em nome de todos nós, os que têm que atar os sapatos, desatá-los apenas para apenas os reapertar novamente, e recomeçam sucessivamente, e contam todos os palitos do chão quando a porcaria do paliteiro cai, de todos nós que não pisamos os intervalos entre os azulejos e para quem a calçada à portuguesa é um pesadelo, muito obrigado senhor engen... engen... pois... senhor Primeiro-Ministro.

14 comentários:

Johnny disse...

também fazia isso dos azulejos :)

Moyle disse...

E contar cenas? pessoas à mesa, decorações penduradas e tretas assim?

Teté disse...

Não sofro de doença bipolar, mas essa de não pisar riscos no chão é de criança, suponho que todos fizemos...

Quanto a estes governantes, hummm... por melhor que seja a intenção (?!), palpita-me que não vão aquecer o lugar por muito tempo! Mas parece-me que são mais vira-casacas, que esquizofrénicos... :S

ipsis verbis disse...

Só vou falar da parte mais interessante.
A cena do chão, de não pisar os intervalos dos azulejos, faço às vezes, quando não estou distraída.
conto cenas também. ahaha... e verifico 3 ou 4 vezes a porra do alarme no tlm, logo após ter acabado de verificar, mais 3 ou 4 vezes se está com som ou não todos os 5 dias da minha semana laboral... pff e mais, muito mais! :D

Jiminy_Cricket disse...

Alo Majestade,

Era só para confirmar que o nosso primeiro é esquizofrenico (em caso de dúvidas, eu confirmo e assino em baixo)

O piqueno ouve vozes interiores do tipo "agora cancela a obra" passado uns tempos "nã é melhor arrancar com a obra" daí a condição da sua esquizofrenia... o moçoilo não tem culpa (são as vozes)

Esta esquizofrenia do moçoilo leva o país à bipolaridade e à ansiedade de contar azulejos e andar a saltitar pela calçada portuguesa ao sabor das decisões do piqueno.

Contudo, a nível profissional o que me constou é que em vez de irmos de ferias para os tropicos somos um país de grande consumo de psicotrópicos... e lá nos mantemos saudaveis

boa contagem de palitos ;´)

Jiminy_Cricket disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Moyle disse...

Teté,

também acho que sim. mas ao dinheiro que gastam em despesas de gabinete até surpreende que precisem de virar a casaca. compram mais, que é o costume.

Moyle disse...

ipsis,

ahahahaha. bem-vinda ao clube. vá lá que com o passar do tempo a coisa foi-se diluindo. já fui muito pior nessas cenas :)

Moyle disse...

Alo Jimini,

deve ser isso que me falta: consumir psicotrópicos :)

quanto às vozes interiores, vê o post anterior e as dúvidas que essa vozes levantam (não recomendo muito devido ao tamanho e à estupidez constante, mas é sobre isso :))

Jiminy_Cricket disse...

depois das noticias de hoje (e mais umas vozes na carola do moçoilo) ainda não sei como ninguem arranjou coragem de dar um tiro entre os olhos a este gaijo!

clara umbra disse...

LOOOOL
Eu não consigo fazer yoga se o colchão não estiver alinhado com as tábuas da madeira do chão. É tão deprimente! Era suposto essas coisas mundanais serem-nos indiferentes e tal... e a meditação e tal... nada! Sofro horrores.

Moyle disse...

Jiminy,

os portugueses são muito calminhos. não dão tiros a ninguém. a não ser que lhe roubem o lugar de estacionamento, ou desviem a água de regar milho :)

Moyle disse...

clara,

e se fizesses tai-chi? tinhas que pentear a relva toda na mesma direcção? havia de ser bonito de ver :)

clara umbra disse...

:)