5/06/2008

As Searas da Ira II

A escalada de preços do arroz só tem dois culpados e nenhum deles inclui os grupos financeiros que especulam com bens alimentares.
A culpa é dos chineses e dos japoneses por andarem a fazer aguardente de arroz em vez de o comerem. Já viram a aguardente que é necessária para mais de 1 bilião e 500 milhões de pessoas? Isto mesmo que cada um beba um décimo do que bebe, em média, um português.O outro culpado são os velhos, e homens de meia-idade portugueses, que insistem em querer arroz doce – porque faz lembrar a saudosa infância – quando já toda a gente enjoou dessa porcaria.


(E já nem se fala nas batatas para o Vodka, milho para a Tequilla e Whisky, etc. Qualquer dia não se pode beber nada. E andam todos preocupados com a alimentação. Cambada de inconscientes!)

18 comentários:

Jiminy_Cricket disse...

Oi Moylistica Majestade,

Passei para parabenizar pelos 2 anos efectuados... OK, a malta veio com umas horas de atraso :( mas veio!!!!

Quanto ao meu comentário... eh pa! a solução está no alecrim... só pode! Deixam de beber e comer, e alecrim para a carola. Daqui a uns anos acordam e talvez isto tenha passado ;)

Moyle disse...

ainda não foi mas está quase... mas desde já fica o agradecimento pela atenção.

quem diz alecrim diz oregãos ou folha de louro ou até, vá lá, um rosmaninnhozito (bem seco). desde que a batência seja a esperada...

Pedro Correia ou Poeta Acácio disse...

cambada de inconscientes! Nem mais! Daqui a algum tempo nem mines há!
Os chinezes beber aguardente de medronho... a aguardente de arroz é para meninos! hehehe

TENHO DITO

Moyle disse...

poeta,

é assim que se vê quem é superior culturalmente. mas qual aguardente de arroz... tristes infelizes.

Teté disse...

Ahn? Este texto não se deveria chamar as Vinhas da Ira? Sabes, batidos de uva e tal, ou a preocupação é só com bebidas mais "fortes"?

Mas realmente, anda prái cada inconsciente: arroz doce, onde já se viu... :)))

Jiminy_Cricket disse...

Oi moyle,

áquela hora da noite passei pelo estaminé do poeta e percebi que era ontem, sorry :(

A malta varalhou-se aqui toda

Ahhhh já fui tão feliz ao som de umas folhas de louro, nem vou falar dos oregãos...

Moyle disse...

jimini,

calma rapariga. ainda faltam 25 dias para o acontecimento moylístico mais importante desse dia.

toda a gente já foi, só não admitem os falsos moralistas...

Moyle disse...

teté,

por enquanto não há grandes problemas com os batidos de uvas (ou pisados de uvas, que é o que lhes fazem) por isso, enquanto estivermos de volta dos cereais e da gigantesca crise humanitária que se avizinha com o aumento de todas as bebidas derivadas deles, pareceu-me mais apropriado.

mais dia menos dia proponho uma moção para a proibição da produção, posse e venda de arroz doce.

Sorrisos em Alta disse...

E os inconscientes que desperdiçam o precioso arroz, a atirá-lo, em sacos, à cabeça dos noivos???

E se o fossem lá apanhar, no fim, grão a grão, de cú para o ar, a saber o que custa???

Moyle disse...

sorrisos,

é que ainda dizem que é para dar sorte e desejar prosperidade! dar sorte? Prosperidade? para isso atirar com maços de notas e era garantido... mas não, vai tudo para o mais complicado e menos óbvio. qualquer dia andam lá mesmo a apanhá-lo, um a um, para fazerem aguardente de arroz...

Clara Umbra disse...

Como eu gosto muito de arroz doce, sinto-me profundamente ofendida com este post. Para que se conste.

Moyle disse...

deixa lá, ninguém é perfeito.

ass. lobby do leite creme.

Clara Umbra disse...

Também gosto. Tenho de optar?

Clara Umbra disse...

Ah! e gostei do título "As searas da Ira", Mr. John Moylebeck!

Moyle disse...

clara,

o Moyle é a favor da liberdade (e da libertinagem como é óbvio) portanto nunca exigiria uma opção numa questão tão pessoal e transcendente da vida de cada um.

se és feliz nessa situação de bigamia sobremésica o que importa mesmo é isso, que sejas feliz.

.
.
.
.
já limpei a baba e posso agora congratular-me por ter suscitado o agrado da cara clara.

Clara Umbra disse...

Não limpaste bem, ficaram quatro pinguinhas no ecrã...

Moyle disse...

nada mau para uma torrente de proporções bíblicas...

gardunha disse...

Bem observado. Onde é que isto vai parar!
Moyle, obrigado pelo comentário. Reparei que ainda não tinha o link para tão visionário e pertinente espaço feito de zeros e uns, mas já corrigi tão grave falha. Desta forma, talvez uns quantos habitantes de Alcongosta (os que ainda não fugiram para longe, vergados à vergonha do peso que tem o nome da terra em Moylísticas mentes), se possam tornar parte dos milhões de leitores que diariamente anseiam pelas clarividentes observações aqui feitas.
http://pedacosdealcongosta.blogspot.com/