6/08/2006

Critérios Comportamentais de Avaliação da Sexualidade Masculina

Hoje, há um problema para os homens que atingem uma certa idade e não têm qualquer tipo de relacionamento com um espécime do sexo oposto. Eu defino essa idade como o período em que se começa a trabalhar, depois de acabar a faculdade, o que ronda entre os 24 e os 27 anos, podendo mesmo atingir a casa dos 30 no caso das mentes mais brilhantes, que continuam a espalhar sabedoria pelos corredores das faculdades.
Pois bem, meus amigos, a partir desse momento, se continuam a apreciar as vantagens de uma bela saída à noite em que podem olhar à descarada para uns belos pares de nádegas e afins sem sofrer qualquer repreensão, a não ser que façam um olhar à espanhola e sejam mesmo agredidos fisicamente, se querem continuar a malhar umas louras sem terem que se preocupar com o bafo, cuidado, porque qualquer pequeno gesto que tenham pode ser considerado... abichanado. Concretizando, se não tens namorada, ou no mínimo se não és vulgarmente acompanhado por uma mulher, és susceptível de ser gay.
Actos como, olhar para a televisão e fazer um comentário sobre a telenovela pode ser considerado como tal (vendo bem, um comentário sobre uma telenovela não deixa dúvidas). Mas se tivessem uma mulher, deixavam de ser gay para serem um dos que simplesmente não tem Sporttv e está à espera que acabe o raio da telenovela para ver se finalmente lhe apetece ir copular.
Mas atenção, ver futebol pode ir do mais machão que há, ao mais amaricado possível. Se forem um dos que foram caçados antes do tempo, ver futebol e beber umas cervejas é um ritual e ela deixa-vos fazer isso porque durante 90 minutos nunca caem na tentação de olhar para outra (porque à hora de jogo nunca está nenhuma no café a beber cerveja e a comer empalhadas, ou mesmo só tremoços, ou se está, meus amigos mais vale olhar para a televisão). No entanto, se ainda não foram anilhados, cuidado, porque ver futebol pode ser considerado gay, pois é uma excelente ocasião para ver 22 pares de pernas musculadas (excepto as do Alcides). Não contando com equipa de arbitragem, por ser demasiado perverso (não sei se alguém seria capaz de olhar para o Martins dos Santos com esses propósitos, ou mesmo para o Isidoro Rodrigues).
Mas há mais, usar uma mala a tiracolo pode ser um pau de dois bicos (esta expressão não foi nada feliz). Se estiverem conotados como uns verdadeiros barrascos, usar uma é considerado um sinal de alguma maturidade e até de um certo estilo, mas se não forem um desses tais barrascos, não há nada mais gay do que usar uma mala a tiracolo (se tiver brilhantes não têm hipótese, porque são mesmo).
Ir beber café também pode ser um pretexto para abichanação. Se pertencerem ao grupo dos que decidiram pôr fim à liberdade, podem pedir a vontade um café e uma água (mesmo com sabores) que ninguém põe em causa a vossa virilidade, no entanto, se ainda estão do lado da liberdade, e para evitar mal entendidos, peçam sempre um café com um digestivo, desde que não seja Pisang Ambom, Safari ou Bailey's, de preferência uma aguardente velha ou, se conseguirem, um bagaço, isso não deixará dúvidas. Evitem sempre as águas com sabores, principalmente com sabor a morango e mesmo a figo. Para os mais economicistas optem pela cerveja, é intemporal e na maior parte das vezes símbolo de machismo, mas evitar a cerveja sem álcool, que pode não ser muito conveniente. Nos estádios, para não serem apanhados desprevenidos, apanhem sempre a bezana antes de entrar. Também não esquecer o vinho tinto que, dentro de certos parâmetros, contempla uma margem de virilidade, isto se for escolhido vinho com mais de 14º ou um bom “ Lutador”, “Chicote” ou “Repolho” (acreditem, é preciso ser um homem com “coglionne” para conseguir beber vinho destas castas tão bem seleccionadas).
Outra coisa a evitar são os lenços de papel, principalmente se ainda trouxerem o maço. Para evitar esses mal entendidos optem por pedir um emprestado (não convém devolver), ou vai ao WC e retira um bom pedaço de papel higiénico, de preferência sem ser de dupla folha, e quando chegares à mesa ou ao balcão utilizem-no da maneira mais espalhafatosa possível. Se conseguirem, o ideal mesmo são ainda os lenços de pano, que dão para várias utilizações, bastando deixar secar. Mesmo que as secreções, ou mucos, nasais contenham substância, deixem sempre secar que o substrato acaba sempre por cair de tão seco.
Mesmo ao olhar descaradamente para uma mulher, utilizem sempre qualquer tipo de linguagem, barulho ou grunhido que demonstre a vossa virilidade, pois um simples olhar sem qualquer referência vocal pode ser considerado desprezo pelas formas do sexo oposto. Claro que os comprometidos não podem fazer barulho sob pena de ficarem proibidos de utilizar as formas que estão ao seu dispor.
Tentem evitar dizer o que estiveram a ver na tv, para não serem apanhados em ratoeiras. Documentários, se bem que são “cultura” para os comprometidos, para os outros de nós podem ser um rótulo de larilice. Se vos descair a língua (cuidado senão estão logo na merda), tenham sempre pronta uma afirmação do género: era um documentário, mas sobre bate-chapas, ou mesmo era sobre a pisa do vinho na região demarcada de Dão-Lafões, etc. Uma referência ao Canal 13 (ex-18), pode também funcionar bem como dissuasor de comentários sobre uma vossa eventual “apanha do sabonete”, em balneários públicos.
Muita atenção, igualmente, a um outro pormenor. Fazer apostas é de macho. Para os já “amarrados” serão criancices e eles não entram nessas paroladas. Para os outros, não entrar numa aposta é pura rabetice. Atentem, contudo, aos teores apostados. O ideal é sempre apostar copos. Bebedeira, ainda por cima por aposta, é de homem viril, sempre e indiscutivelmente.
Finalmente, a roupa que vestem. Um gajo que tenha namorada que use uma camisola sobre os ombros, vista um pólo ou camisa cor-de-rosa tem estilo e é esteticamente evoluído. Os outros… Quanto aos outros arriscam-se a ser a Rosa Amélia, ou, pior, tidos por aparentados com o Castelo Branco. Atenção, então, aos laranjas, verdes fluorescentes, amarelos e outras cores berrantes. No Carnaval, não vistam roupa de mulher, nunca. É certo que ninguém leva a mal, mas também é certo que ninguém se vai esquecer e umas fotos, menos felizes, poderão tornar-se um purgatório terreno.

1 comentário:

NILDA disse...

Mensagem para o forte.... Apesar de tanta luta com o texto... CONTINUAS GAY...