11/28/2010

Ecce Cromo


Digam lá o que disserem, Jesus não podia ser um gajo muito esperto. Então, com 33 anos, na flor da idade e no auge das capacidades físicas não se põe na alheta para fora de uma Judeia mortinha por lhe acertar o passo? Isto é de um tipo minimamente atento?
Que faz a personagem? Deixa-se agarrar que nem um papalvo, leva pancadaria de criar bicho e, depois de lhe terem estropiado a fronha é que ele se põe a andar. Mas não foi logo, apenas 3 dias depois, ou seja, quando já tinha o trombil a parecer a parte de trás de um acidente ferroviário.
Quando parecia que a coisa estava resolvida, águas passadas e tal, o nabo, que não tem outro nome, o que é que faz? Pumba, vai-se enfiar outra vez no meio dos judeus. Sabem o que lhe aconteceu não sabem? Naturalmente, aquilo que se esperava.
Mas custa muito a este gajo, isto é Jesus (para quem entretanto se perdeu no meio desta extraordinária peça de prosa), perceber que os judeus lhe vão esgadanhar a fuça de cada vez que ele lá puser os pés? Já agora, mas que raio têm os judeus contra o nome Jesus? Ou não será do nome?
Depois, o Mel Gibson é que era anti-semita e tal. Desta vez não havia romanos e os judeus , sem ajuda, afiambraram, ainda assim, Jesus.



(Esta notazinha serve aqui para vos informar de que o Moyle está consciente de parecer bastante primário ao comentar as acontecências da religião avermelhada fixado apenas num alvo. Mas notem bem - ou não fosse isto uma nota. Qual é o nome desse alvo? Ora, precisamente, o nome é Jesus, o triste, pobre e burro que se ofereceu para expiar as culpas dos outros todos. Meus lindos, ele é que quis, opções de vida, enfim, e quem é o Moyle para as desrespeitar?)

4 comentários:

Teté disse...

É caso para dizer "ai Jesus que lá vou eu?" Ná, não me parece para tanto!

Descontando as tuas impressões da vida de Jesus (Cristo), que me parecem falhar pela discrepância de tempo e espaço - 20 séculos depois, outro continente, já para não trazer à liça o tal de Império Romano - este Jesus não me parece ter falhado tanto assim, mas sem equipa não consegue milagres...

Errar, todos erramos, mas antes de fazer a cabeça dele rolar, era útil verificar se existem melhores alternativas... PIII! Não? Então pronto, é deixar chegar ao fim. Ah e tal que o cromo não sabe falar? Pois, OK, mas não é para falar que lhe pagam! :)

Moyle disse...

Teté,

o tempo e o espaço, cara Teté, como relativos que são, não existem verdadeiramente. são apenas convenções para a limitada mente humana inteligir conceitos difíceis:)

sim, verdade seja dita que tem sido mais uma questão de apóstolos do quer do "Salvador", mas este também já transformou água em sumol de ananás este ano, quando o ano passado tinha conseguido transformar água em "Dão Reserva".

Noya disse...

Não houve romanos mas há brasileiros...
E também me parece que anda aí um senhor de orelhas grandes disfarçado de Poncio...

(Tenho andado ocupado...)

Moyle disse...

Noya,

de romanos a brasileiros vai alguma distância. os romanos eram gajos competentes, eficazes e organizados...
deixa-me adivinhar, este Pilatos lava as orelhas de qualquer responsabilidade?

(espero que por bons motivos :))