6/04/2009

Variações Moylísticas Sobre Bloqueio Mental

Como é que vocês imaginam um “bloqueio mental”? O Moyle, fruto da sua complexa e intrincada personalidade, percebe-o de variadas formas.

Nos casos mais graves, o hiperbolismo congénito moylístico visualiza a coisa como uma sucessão de barricadas com arame farpado, bidões com qualquer coisa a arder dentro, gajos com armas a vigiar uma cancela que é um tubo às riscas vermelhas e brancas, que levanta com ajuda de um contrapeso numa das extremidades, para deixar passar as sinapses depois de devidamente identificadas pelas milícias neuronais. Esta situação é muito séria porque só uma revolução espiritual derruba o poder e restabelece a ordem psicológica.

Se estivermos a falar da classe política, o espírito mais escatológico tende a ver o bloqueio mental como uma bola de papel higiénico que impede a circulação dos pensamentos pelo cano da retrete abaixo. A solução para estes bloqueios nem sempre é simples e, em sintonia com os pensamentos que não fluem, pode dar merda. Como a experiência nos ensina, aqueles que se auto-proclamam “canalizadores de serviço” farão, como é hábito, pior e agravarão o entupimento/bloqueio.

Tecnocraticamente falando, um bloqueio mental sugere ao Moyle o congelamento do computador. Já aconteceu a todos de certeza. Está-se ali, parado, e, apesar de carregarmos em tudo quanto é tecla, as sinapses não desenvolvem. Neste caso a solução é razoavelmente simples, precisamos de um reboot. Recomenda-se que, com recurso à ingestão de uma quantidade exagerada de bebidas alcoólicas, provoquemos um crash no sistema e depois reiniciemos mais fresquinhos. Para todos aqueles que já têm a motherboard queimada… meus amigos, só com ajuda especializada é que lá vão.

A Ipsis sugere um outro tipo de bloqueio mental, o qual o Moyle também subscreve. É costumeiro e consiste em inscrever o Pin errado demasiadas vezes na nossa própria mona, bloqueando-lhe o funcionamento. É só uma questão de inserir o PUK. O problema, neste tipo de bloqueios, é que a maior parte das pessoas não conhece o seu código de desbloqueio PUK e ficam com o equipamento aparentemente em condições mas impossível de ser usado

66 comentários:

Treze disse...

Foi por isso que estiveste tanto tempo afastado, por não encontrares o PUK? :)

Moyle disse...

Treze,

o meu PUK está desaparecido há anos... :)

johnny disse...

Experimenta a droga! Pode ser que funcione. Mas fica avisado que há algumas substâncias que podem provocar maleitas diversas.

... perdoa-se o mal que faz...

Teté disse...

Epá, estava a estranhar a tua ausência blogosférica... mas bloqueios mentais são do "catano"! Todos, nas diversas versões!

Pior, só mesmo o Al... ;)

E sim, já uma vez andei aqui com um "bloqueio" com o tal de PUK (só o nome cheira mal, não é?) e não fui eu a encontrá-lo! rrrssss

Dentro em breve também vou entrar num bloqueio, mas desses gosto, intitulado fééérias!!! :)))

Por acaso podia não vir no pacote mini (que não sei se vou ter outras), mas pronto. Inté!

Teté disse...

Ah, em resposta à tua outra pergunta, a apresentação do livro do Rafeiro, em Coimbra, é dia 7 de Junho, na livraria Bertrand do Dolce Vita, às 16h:08 minutos (para variar, quase pontualmente, exceptuando um ou dois minutos para se acertarem os microfones, que isso aí são os inevitáveis)...

Fica bem (e boas leituras)! :D

Jiminy_Cricket disse...

Ahhhhh

Como eu entendo esta dos bloqueios... o actual é daqueles que nem mesmo com o PUK o gaijo arranca!

jus

Moyle disse...

johnny,

tens uma certa razão porque às vezes apetece-me ficar (mais) estúpido e nada melhor que um estupefaciente para tratar do assunto...

Moyle disse...

Teté,

sorte a tua que férias, para mim, ainda há-de faltar muito. não te chateies muito porque antes poucas que nenhumas :D

é muito cansaço acumulado já... :(

[obrigado pela data - que vi a tempo - mas não pude ir assistir :( fica para a próxima]

Moyle disse...

Jimini,

calha a todos :( mas não te preocupes. nada dura para sempre :)

ipsis verbis disse...

Se nos têm dado o manual de instruções à nascença, ou se pelo menos criassem fóruns de auto-ajuda para bloqueios mentais e coisas do género, tudo isto seria mais fácil. Por outro lado, este belo texto, (e não digo belo só por ter o meu nome nele :)não teria sido escrito, e hoje ainda veria o Moyle, ausente deste espaço.

Moyle disse...

ipsis,

o melhor é começar a ler Paulo Coelho. não te leva a lado nenhum mas ao menos ficas com a ideia de que... esquece, Paulo Coelho mete nojo e não serve para nada :D

ipsis verbis disse...

Moyle,

Do Paulo Coelho, nunca li nada, mas um livro dele talvez servisse para uma coisa, apesar de nunca perceber o propósito de um pisa-papeis.

Moyle disse...

ipsis,

eu li um, apenas um, mas foi por engano. foi o Manual do Guerreiro da Luz e li-o porque pensei ser um livro de estratégia em guerrilha urbana dos No Name Boys... imagina a desilusão de um gajo a querer preparar-se para uma revolução e sai... aquilo.

ipsis verbis disse...

Moyle,

Ahahah, e afinal "aquilo" era sobre o quê?

Moyle disse...

ipsis,

muitas vezes me pergunto essas coisas e a resposta é sempre a mesma:

...

ipsis verbis disse...

Moyle,

não estava à espera de "..." ponto de exclamação. Vivendo e aprendendo :)

Moyle disse...

ipsis,

é o que eu digo, todos os dias aprendemos uma coisa nova. o teu está a correr bem :D

ipsis verbis disse...

Moyle,

é verdade, até porque quem faz os nossos dias são as pessoas com quem nos damos. (um pouco menos de açúcar e eu seria melaço) ahahah

Moyle disse...

ipsis,

AHAHAHAHAHA, afinal andaste mesmo a ler Paulo Coelho :D

ipsis verbis disse...

Moyle,

ahahah, ele não diz estas coisas. Diz?
tenho que formatar o disco outra vez!

Moyle disse...

ipsis,

bem, acho que não diz. se dissesse faria melhor figura :D

como dizia o gajo da loja de electrodomésticos, formatar o disco deve ser sempre o último recurso. faz um reboot, se tanto :)

ipsis verbis disse...

Moyle,

"melhor figura"? vou ler qualquer coisa do gajo online asap. Eu já me achei piegas e corriqueira demais no comentário que fiz...

e tu não achas que aquele comentário pede uma formatação? ehehe, eu acho. :)

Moyle disse...

ipsis,

uma coisa é ser lamechas, o que até pode ser adorável, admito, mas ser pseudo-profeta da auto-ajuda é demais para a minha cabeça.

não, não acho. se formatássemos tudo o que fazemos e que achamos indigno não estaríamos a ser nós, humanos, com todas as imperfeições que a nossa grandiosidade implica.

wuhu, agora fui eu :D

ipsis verbis disse...

Moyle,

e só agora percebi totalmente o porquê do paulo coelho na conversa. estive a ler isto e é verdade o que dizes. O gajo pensa mesmo que é o profeta da auto-ajuda! bilhéque.

e lá estás tu a fazer esses deslizes propositados para que em vez da formatação, faça apenas um reboot.
(mas é querido da tua parte :)

Moyle disse...

ipsis,

irrita-me solenemente que estes gajos escrevam cotidiano... da-se, que nervos... nem prestei mais atenção nenhuma quando vi isso escrito. para dizer a verdade foi também por já saber que tipo de texto seria mas a ortografia também ajudou.

sou tão fofo, não sou :D

ipsis verbis disse...

Moyle,

percebo-te muito bem. Há tempos li um livro da Clarice Lispector e tive muita pena da ortografia. De resto, tinha boas ideias para textos e contos. :)

és, não és? :P

Moyle disse...

ipsis,

conheço o nome e, embora me faça lembrar fígado com favas acompanhado de Chianti, não me diz nada literariamente :D

eu goto de pensar que sim :)

ipsis verbis disse...

Moyle,

Fígado com favas e chianti não digo, mas baratas com recheio branco amargo acompanhado de analepses e prolepses, talvez. O nome do livro é "a paixão segundo g.H." (e o título não tem nada a ver com romantiquices) e se alguma desse em filme, seria realizado pelo david cronemberg, or so i like to think..

ipsis verbis disse...

*cronenberg e não cronemberg.

Moyle disse...

ipsis,

já fui à procura da sinopse e o *cronenberg estaria bem para ela, ou ele ou o Lynch, que também não tiro nadinha dos filmes dele :D

ipsis verbis disse...

Moyle,

:) o Lynch estaria muito bem também.
(o cronenberg surge primeiro por causa da comparação que fiz entre a barata do livro da CL e as máquinas de escrever do naked lunch, ou ainda as armas orgânicas do existenz)

Moyle disse...

ipsis,

naked lunch? népias.
existenz? tenho uma ideia do que falas :)

mas já estou a tratar disso :D

ipsis verbis disse...

Moyle,

Naked lunch é adaptado do livro com o mesmo nome do william burroughs. (aconselho ambos, pela ordem que preferires)

existenz, jogos hiper-reais com armas orgânicas e com a jennifer jason-leigh e o jude law.

e o videodrome? e o madame butterfly?
dead zone? scanners? :)

Moyle disse...

ipsis,

pois, do existenz tenho alguma ideia que será rectificada brevemente (segundo as torrentes que fluem no meu computador ;)

nope. tenho mas ainda não vi. nope. nope.

dele só me lembro do Spider, embora possa já ter visto outros. sou um cinéfilo muito fraquinho :)

ipsis verbis disse...

Moyle,

:) dizem que as torrentes a esta hora são mais rápidas.

vê todos os que te disse. :)

o spider e o crash (não é o crash do brasileiro, é este que é mais antigo)
achei-os mais comedidos, em comparação com os outros que já foram referidos.

ipsis verbis disse...

sorry for the bad link. agora é que é! :)

Moyle disse...

ipsis,

pois, brotam das profundezas com todo o poder da internatureza :D

ça viendra :D

é possível, embora eu não tenha grande termos de comparação, como é lógico. mas tratarei do assunto (lembro-me deste Crash ter saído, pelo que imagino que tenha despertado algum furor).

Moyle disse...

ipsis,

não curto nada o James Spader mas como não é um monólogo não há stress :D

danke :)

ipsis verbis disse...

Moyle,

exacto! :D

:)

eu lembro-me de o ter visto pouco depois de ter saído, resultante desse furor, pois. E como é evidente, as expectativas estavam altas demais.

ps: não sei por que razão pensei ser o crash, o mais recente e que não tem nada a ver com o primeiro, do fernando meirelles. Pois não é. My bad.

ipsis verbis disse...

Moyle,

o James Spader não é nada de especial, realmente. Nem ele nem a Holly Hunter, vá. Mas no filme "a secretária" o gajo, talvez "ajudado" pela Maggie Gyllenhaal, até escapa.

Moyle disse...

ipsis,

o trailer é apelativo é disso exactamente que me lembro. nunca cheguei a ver o fime, yet :D

do Meirelles não sei, mas lembro-me de ver o Crash do Paul Haggis. well, no sweat :)

Moyle disse...

ipsis,

o da secretária já me lembro (mais ou menos, vá). impressionou-me (ela, lá está). era assim a atirar para o bizarro aquela relação entre eles. acho que só percebi mesmo, mas mesmo mesmo, o que era tensão sexual quando vi esse filme :D

ipsis verbis disse...

Moyle,

Pois, é do Paul Haggis. No sweat :)

ipsis verbis disse...

Moyle,

Sim. Bizarro, meio kinky e fetichista. Ela está perfeita. Ele atura-se. :)

E só para nos avivar a memória, um minuto e tal com a secretária.

Moyle disse...

ipsis,

very nice, mas duvido que a produtividade nesta empresa seja algo por aí além :D

ipsis verbis disse...

Moyle,

Ehehe, ainda para mais com uma secretária que dá erros ortográficos de propósito só para levar com uma "correcção" em cima. ahahah

Moyle disse...

ipsis,

e saiu ela de uma instituição para tolinhos... de tola não parece ter muito (vá, mais ou menos, porque levar pancada voluntariamente não me parece muito saudável)

ipsis verbis disse...

Moyle,

já não me lembrava da instituição... pois, levar pancada assim é um pouco doentio. Mas se virmos as coisas pelo lado positivo, a relação deles começa a ficar mais saudável no final do filme.

Moyle disse...

ipsis,

nunca se sabe se não será um bom exercício para os glúteos, de qualquer maneira, a continuar assim, não lhes auguraria um grande futuro, pelo menos em quantidade porque relativamente à qualidade não me sinto preparado para responder :D

ipsis verbis disse...

Moyle,

o gajo que criou a máxima, no pain, no gain" saberia responder. :)

Moyle disse...

ipsis,

AHAHAHAHA

imagino que se fosse uma galinha diria "no pain, no grain", mas isso sou só eu :)

ipsis verbis disse...

Moyle,

:D

não consigo continuar. Damn it!

reparei agora que o dicionário priberam tem já a variante "dAC",(depois do acordo ortográfico)o que me deixa extremamente indisposta.

:S

Moyle disse...

ipsis,

that is the sound of inevitability [só a partir dos 3:56m]

ipsis verbis disse...

Moyle,

noooo [só a partir do 1:10]

Moyle disse...

ipsis,

... [em qualquer segundo :D]

ipsis verbis disse...

Moyle,

!!! [a partir dos 3 segs]

ipsis verbis disse...

(rebooting?)

Moyle disse...

ipsis,

yup :)

não encontro aquilo de que andava à procura. I quit.

ipsis verbis disse...

Moyle,

Não faz mal. :)
Já é tarde e nós não estamos a ficar mais novos, ou será mais, the night is young and so are we? bah! princípio de semana, por isso, the night is young and we are pretty. Ehehe

Moyle disse...

ipsis,

não diria melhor :D agora vou ver mais um episodiozinho de South Park antes de ir aterrar que a manhã é cedo, amanhã :D

ipsis verbis disse...

Moyle,

south park parece-me muito bem :D
boa aterragem daqui a pouco e para amanhã, boa descolagem.

see you soon, honey moon

Moyle disse...

ipsis,

o imnportante nestas coisas é não voar na Air France :D

bye bye, pumpkin pie

blayer disse...

Por vezes é um engarrafamento, temos tantas proposições que não conseguimos arituclar nenhuma.
A solução é esperar que o trânsito volte ao comum

Teté disse...

Há duas semanas sem moylar?! Está tudo bem por aí??? Férias nesta época, não, pois não?

Beijocas!

Moyle disse...

blayer,

é isso mesmo... mas os semáforos tendem à intermitência, o que não ajuda em nada:D

Moyle disse...

Teté,

trabalho, preocupações e crise de vontade/criatividade... I'll be back, espero:D