5/12/2008

Colóquio dos Simples

No passado dia 3 de Maio de 2008 realizou-se, também em Portugal, uma marcha pela legalização da Marijuana. Ora, o Moyle, por um segundo apenas, viu imanar da Humanidade uma ténue luz de esperança, reflexo de um gesto de bondade. Afinal era a primeira vez que o Mundo se unia para manifestar a sua posição quanto à imigração, nomeadamente exigindo a legalização dos imigrantes ilegais.

Ora bem, tal não passou de uma luz pífia e de uma credulidade abjecta aqui do Moyle – o que até nem faz nada o seu estilo em termos de postura perante a Humanidade – pois a Marijuana não se tratava de uma qualquer imigrante ilegal provinda da América do Sul.

Só depois de prestar atenção ao que realmente se passava o Moyle percebeu que a manifestação era para se tornar legal o direito de fumar ervas aromáticas e, entre elas, a Marijuana.

Mas continua a haver algo que provoca no Moyle uma sensação de prurido na parte de trás do umbigo. Mas por que raio de razão se há-de pedir autorização – e ainda por cima fazer manifestações para tal – para fumar ervas aromáticas? Mas alguém me pode proibir de ir pela borda da estrada e apanhar um raminho de orégãos e esfumaçá-los todos? E se for subtrair à minha avó o alecrim benzido do Domingo de Ramos para esse efeito, alguém tem alguma coisa que ver com isso? Parece-me que não. Isto, afinal de contas, não passa tudo de uma mistificação pois, se é legal pôr as folhas de louro na comida, por que não haveria eu de as poder fumar? Onde está isso previsto na lei? Não está, claro que não está…

Está-me cá a parecer que, mais uma vez, estamos perante uma campanha, muito mal amanhada, de divulgação de predutes estrangeiros em detrimento da belíssima – e de qualidade – produção nacional. Que tem a Marijuana a mais que o rosmaninho? Nada, imagina o Moyle. Portanto, antes que saia daqui uma nova Depuralina, não será melhor deixarmo-nos estar com a produção nacional, de comprovada qualidade?

11 comentários:

Pedro Correia ou Poeta Acácio disse...

tás carregado de razão... aliás, se virmos de um ponto de vista, Portugal tornava-se num país mais agradável e bem cheiroso, sem ter de recorrer ao Brise Toque & Fresh Casa-de-banho!...
hehehehe

TENHO DITO

Moyle disse...

achas poeta? eu acho que não. para estes pamonhas se é importado é sempre melhor...

Clara Umbra disse...

Hmmm... isso dos valores nacionais é muito bonito, mas cheira-me que o alecrim, fumado, há-de ficar a milhas da marijuana, pelo que não contes comigo na marcha.
Avisa aí quando houver uma em prol das papoilas, sim?

Clara Umbra disse...

Hmmm... isso dos valores nacionais é muito bonito, mas cheira-me que o alecrim, fumado, há-de ficar a milhas da marijuana, pelo que não contes comigo na marcha.
Avisa aí quando houver uma em prol das papoilas, sim?

Clara Umbra disse...

Hmmm... isso dos valores nacionais é muito bonito, mas cheira-me que o alecrim, fumado, há-de ficar a milhas da marijuana, pelo que não contes comigo na marcha.
Avisa aí quando houver uma em prol das papoilas, sim?

Clara Umbra disse...

Ei! Três?! Não sei como é que isto triplicou, mas apaga lá dois, plize! Os meus comentários já parecem os Gremlins quando apanhavam água...

Moyle disse...

clara,

o Moyle sente uma certa relutância em tirar-te os três por isso acho que vão ficar...

bem lembrado a cena dos gremlins.

Jiminy_Cricket disse...

Oi Moyle,

estou tão admirada como tu, ainda por cima a manifestação era de meia duzia de gatos pingados.

Como já referi antes, já fui muito feliz ao som de esfumaçar um belo louro e um belo oregão e agora fazem manifestações para autorização daquilo que o povo esfumaça há imensos anos? estes romanos estão loucos!

Beijos

Moyle disse...

jimini,

deviam ser da JS para arranjar maneira de meter a ASAE ao barulho... isto para verificar se as "sopas" são feitas nas melhores condições de higiene, se as "broas" estão dentro do prazo e se os "carapaus" estão frescos.

Teté disse...

Ai, Moylito, ou inspiraste muitos "fumos" no Sorrisos, ou não sei que te diga em relação a essa da legalização da Marijuana (a ilegal da América latina ou a planta).

Não se vê logo que isto foi uma tosca tentativa policial de identificar os possíveis fumantes de charros???

"Broas"??? :)))

Jinhos!

Moyle disse...

teté,

broas = charros :)

os únicos fumos que inalo ou são de John Player Special ou de gasóleo/gasolina dos carros à inha frente.

Longe vão os tempos em que se apanhava moca com o estrume da bicharada. ao menos era mais ecológico :)